Início > Devocional, Notícias, Reflexão > Desobediência Civil e Cristianismo – Final (o ser)

Desobediência Civil e Cristianismo – Final (o ser)

Saudações meus caros coetâneos,

Mais uma vez a graça de Deus nos permite estar aqui. Utilizo nesse post o mesmo título dos anteriores , muito embora o assunto tratado agora se distancie um pouco da epígrafe. Do alto de minha minúscula cátedra filosófico-teológica lhes escrevo esse texto, quiçá presunçoso, mas certamente bem intencionado, fruto de um diletantismo que, se não é lá dos mais nobres, cuido também não ser dos mais vis.

Em síntese, nas duas postagens anteriores o que se discutiu foi a liberdade de expressão, seja na esfera civil, seja na esfera religiosa. Agora, gostaria de finalizar o assunto falando um pouco sobre a liberdade de expressão mais profunda que coube a nós, seres humanos: a liberdade de expressão do ser.

Não é novidade para ninguém o fato de vivermos num mundo cheio de regras, conceitos e valores, os mais diversos possíveis. A todo instante, desde o nascimento, somos pressionados pela mídia, pela religião, pela família, pelo governo, por normas éticas e estéticas a fazer opções e, ao mesmo tempo, construir nosso caráter, personalidade e conduta tendo que nos nortear em meio a esse pandemônio de idéias.

Contudo, não obstante a grande tentação de nos apegarmos a um determinismo radical, em que ninguém é culpado de nada, posto sermos todos “frutos do meio”, surge o apóstolo Paulo e nos diz que, em última análise, nossa consciência deve ser a grande juíza de toda nossa existência (I Co 11.28), afinal, cada um de nós dará contas de si mesmo a Deus (Rm 14.12). Eis aí a liberdade, liberdade cristã, desafiadora…

Desafiadora porque, em última instância, compete a mim decidir meu destino e, ao mesmo tempo, me responsabilizar por ele. Sartre dizia que as pessoas não gostam da idéia de liberdade porque a liberdade, tomada em sua essência, acaba responsabilizando o próprio sujeito por todos os acontecimentos em sua vida, quer bons, quer ruins. Afinal, você é livre. Infelizmente a maioria dos homens sempre preferiu entregar sua liberdade a outras instâncias, que não a da própria existência. Ora, é mais cômodo poder culpar o governo, a sociedade, meus pais, minha igreja ou meu pastor por meus fracassos, do que assumir a idéia, grave e profunda, de que ninguém além de mim mesmo seja responsável por minha existência.

Mesmo meus valores mais sagrados, como Deus e a bíblia, por exemplo, devem ser frutos de uma escolha racional e voluntária, e não frutos de uma submissão cega pautada numa autoridade que esses entes tenham em si mesmos, pois assim agindo, irracionalizo minha própria vida, noutras palavras: a inutilizo. Abrindo mão de minha racionalidade, torno-me um escravo do sistema, um cidadão ordinário, um cristão medíocre, um ser humano risível.

“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”, dizia Jesus. A todo instante a verdade nos convida silenciosamente, pois sua voz provoca alardes dentro da caverna (Platão). O preço da liberdade já foi pago. Ter consciência dessa liberdade é outra história amigo. Talvez, o caminho dos incendiários (Nietzsche) seja realmente um caminho perigoso, mormente num mundo obscuro como o nosso, que rejeita a luz (Jo 1:5). Todavia, não existe nada mais deliciosamente realizador que a satisfação de assumir a si mesmo: “sou um ser livre, apaixonado por minha liberdade e que, racionalmente, assume as responsabilidades que de seu exercício advenham”. A partir de então, um novo horizonte se descortina diante de nós, e o “existir” se transforma em “viver” (Oscar Wilde).

Sei que esse é o tipo de texto que para muitos é chato; para outros tantos, enigmático. Porém, para alguns,  é tão somente mais uma comunicação espiritual perpetrada ao longo de nossa história, por espíritos livres! A esses escrevo, e desses recebo, hoje e sempre!

Que Deus, em Cristo, nos abençoe!

Abração!

 

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: